Adoniran, Nelson Cavaquinho e Cartola: os três primeiros e inesquecíveis golaços de Pelão.

(Seção Zumbidos)

Pelão se foi nesta quarta-feira, 01/09/2021, mas seu legado para a música brasileira está registrado no mais alto escalão. Replicamos aqui parte do capítulo “Cartola, aos 65 anos” do livro Discos Marcus Pereira: uma história musical do Brasil, de André Picolotto, lançado pela editora Flor Amorosa em 2019.

TINHORÃO, ADEUS?

(por Victor Neves / Seção Zumbidos)
Tinhorão foi um obstinado crítico de ilusões que propagavam que o desenvolvimento capitalista conduziria à superação desse quadro e, com ela, das mazelas sociais do país.

Notas sobre José Ramos Tinhorão

(por Leo Pereira / Seção Zumbidos) José Ramos Tinhorão faleceu hoje, 03 de agosto, aos 93 anos. Sociólogo, historiador, pesquisador da música popular e crítico musical publicou mais de 25 livros, alguns deles bibliografia básica para qualquer um que queira se aproximar da história de nossa música popular. História nada descritivista e escrita sob um ponto de vista crítico bem definido.

Quem pariu Mateus que o embale conosco e faça a autocrítica: um diálogo com o texto de Vera Magalhães no jornal O Globo: “Áudio de Bolsonaro com Kajuru é mais grave que o ‘Bessias’ de Dilma”.

(por Rafael Faria / Seção Zumbidos)

Não sei se por falta de imaginação ou tentativa de retirar a própria culpa do cartório, mas será que essas pessoas não vão fazer nunca a relação entre o Golpe de 2016 e a ascensão do inominável???

Seção Zumbidos: O “Mistério do Samba” como documento da nossa cultura. (por Cintia Filomeno)

Acredito que essa obra produzida por Marisa é um documentário tão essencial para a nossa cultura como “Buena Vista Social Club” – idealizado pelo guitarrista Ry Cooder e dirigido por Wim Wenders – é para a cultura latino-cubana